sábado, 15 de agosto de 2009

Cristologia

INTRODUÇÃO – “O estudo de Cristo pela Bíblia é normalmente chamado de cristologia, do grego christo (“Messias”, “Cristo”, “Ungido”) e logos (“Palavra, discurso). No campo teológico estuda-se portanto o Cristo da fé e o Jesus histórico. O primeiro é aquele apresentado pelos escritores dos evangelhos, enquanto o segundo é procurado e apresentado por aqueles que não crêm no sobrenaturalismo e querem ver Jesus não como o Messias mais semelhante a outros nomes da história. No entanto, nos reteremos neste opúsculo apenas do Cristo da fé.

1 – JESUS E O JUDAISMO – “O judaísmo esperava que o Messias desempenhasse um papel de destaque na libertação política da nação. A teologia cristã nos ensina que o motivo dessa não aceitação de Jesus em assumir tal posição foi a necessidade de sua segunda vinda. São verdades obtidas através dos ensinos de Jesus, no Novo Testamento, não sendo possível compreender através da teologia judaica.
2 – QUEM É CRISTO? – Os nomes de Cristo apresentam quem ele é:
2.1 – Filho de Deus (deidade) = nascido de Deus (Mc 3.11; Jo 1.34; 3.16; 11.4).
“2.2 – O verbo (preexistência e atividade eterna)– Pela expressão verbal de um homem até um cego pode conhecê-lo perfeitamente”. Cristo não trouxe a mensagem de Deus Ele é a mensagem de Deus. (Jo 1.1-3).
2.3 – Senhor – “O titulo Senhor, ao ser usado como prefixo antes de um nome, transmitia tanto a judeus como a gentios, o pensamento de deidade. A palavra Senhor do grego Kúrios era equivalente a Jeová na tradução da SEPTUAGINTA”.
2.4 – Filho do homem – diz-se de alguém que participa da natureza humana e das qualidades humanas. (Este titulo é aplicado 80 vezes ao profeta Ezequiel). No entanto, apesar de filho do homem não participou dos pecados destes .
2.1 – Filho de Deus (deidade) = nascido de Deus (Mc 3.11; Jo 1.34; 3.16; 11.4).
“2.2 – O verbo (preexistência e atividade eterna)– Pela expressão verbal de um homem até um cego pode conhecê-lo perfeitamente”. Cristo não trouxe a mensagem de Deus Ele é a mensagem de Deus. (Jo 1.1-3).
2.3 – Senhor – “O titulo Senhor, ao ser usado como prefixo antes de um nome, transmitia tanto a judeus como a gentios, o pensamento de deidade. A palavra Senhor do grego Kúrios era equivalente a Jeová na tradução da SEPTUAGINTA”.
2.4 – Filho do homem – diz-se de alguém que participa da natureza humana e das qualidades humanas. (Este titulo é aplicado 80 vezes a profeta Ezequiel). No entanto, apesar de filho do homem não participou dos pecados destes
2.6 – Filho de Davi – Fala da realeza e preenche os requisitos proféticos de 2 Sm 7.16.
2.7 – Jesus – Obra salvadora (Mt 1.21; Gl 4.4,5) – È a expressão do que Ele veio fazer; salvar a humanidade.
3- TITULOS DE JESUS CRISTO
3.1 – Profeta. Como profeta Ele:
a) Pregou a salvação em uma época de crise nacional (Lc. 19.41-44); b) Anunciou o reino dos céus (Mt 4.14); c) Predisse o futuro (Mt 24 e 25).
3.2 – Sacerdote (hb 8.3) – É alguém devidamente separado (consagrado) para apresentar o homem diante de Deus.
3.3 – Rei (Gn 14.18,19; Hb 7.1-3) – “O plano de Deus para o governante perfeito foi que ambos os ofícios fosse investido na mesma pessoa”.
4 – A OBRA DE CRISTO – De todas as obras realizadas por Jesus aqui na terra sem dúvidas a maior e mais importante delas foi a “Obra Salvífica”. A obra redentora de Cristo é concretizada através de sua morte, ressurreição e ascenção.
4.1 - Morte (1 Co 15.3) – “O ensino dos reformadores era este: quem compreender perfeitamente a cruz, compreende a Cristo e a Bíblia”.
4.2 – Ressurreição – É a razão da existência do cristianismo. Que outro líder de religião ressuscitou e está vivo? A ressurreição é a resposta de Deus aos questionamentos sobre a divindade de Jesus.
4.3 – Ascensão – (Lc 24.50-53) – Fala-nos do Cristo celestial de sua exaltação e de sua soberania (1Co 11.3; Cl 2.10; 1Pd 3.22; Rm 14.9; Fp 2.10,11).
5 – FALSOS ENSINAMENTOS SOBRE A NATUREZA DE JESUS
5.1 – Docetismo – Negam a humanidade de Cristo, dizendo que seu sofrimento e sua morte foram aparentes. (influenciados pelos gnósticos, Gr gnõsis=conhecimento).
5.2 – Ebionismo – Desenvolveu-se da ramificação do cristianismo judaico. O monoteísmo onde somente o Pai era Deus. Que Jesus era mero homem gerado por José e Maria. Que foi feito filho de Deus ao ser batizado por João Batista.
5.3 – Arianismo – Criado no inicio do século IV por um homem chamado Àrio. Veja resumo de seu ensino:
a) “Sua característica fundamental. Deus é solidão e existe sozinho;
b) Dois poderes habitam em Deus: O verbo e a Sabedoria;
c) A criação foi levada a efeito por substancia independente que Deus criou;
d) O filho não é verdadeiramente Deus;
e) O filho é uma criação perfeita do Pai;
f) A alma humana de Cristo foi substituída pelo Logos;
g) O Espírito Santo é uma terceira substancia criada”.
5.4 – Apolinarismo – Criador Apolinário de Laudicéia, século IV. Afirmava que Cristo tinha corpo humano e mente de Deus. Diferente portanto, dos demais seres humanos. (para reflexão Lc 23.46; Hb 2.14,17)
5.5 – Temos ainda:
Monarquianismo;
Nestorianismo;
Eutiquianismo – Século V Eutiquio afirmava que o corpo de Cristo era especial diferente dos demais homens criado especial para a missão que veio cumprir. (Hb 2. 14,17).
6 – DEIDADE E HUMANIDADE – A deidade do Senhor Jesus Cristo é apresentada nas escrituras assim:
6.1 – Seu nascimento virginal (Mt 1.23; Lc 1.31,35);
6.2 – Sua vida impecável (Hb 7.26; 1Pd 2.22);
6.3 – Seus milagres (At 2.22; 10.38);
6.4 – Sua obra vicária (1Co 15.2; 2Co 5.21);
6.5 – Sua ressurreição corporal (Mt 28.6; Lc 24.39; 1Co 15.4);
6.6 – Sua exaltação (At 1.9,11; 2.33; Fp 2.9-11; Hb 1.3)
A humanidade de Jesus também tem lugar nas escrituras, e a união das duas naturezas fala da perfeição de Cristo como mediador dos homens (1Tm 2.5; 1Jo 2.2; Ef 2.16-18). Como homem foi:
- Tentado, (Hb 4.15);
- Aparente conhecimento limitado, (Jo 1.47; 4.29)
- Vida natural (Mt 1.1-16; Lc 10.21; Mc 14.33-36; Jo 11.5).

Na paz de Cristo Pr. Reginaldo de Matos

2 comentários:

  1. Gostei da matéria muito bem colocada, que continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da matéria me ajudou mais ainda no meu curso de teologia a entender as coisas de Deus seus caminhos seus projetos e seu grande amor pela humanidade.

    ResponderExcluir